Category Archives: Viagens

The Longest Way 1.0 – Caminhando pela China e vendo a barba crescer.

O camarada do video andou pela China, percorrendo aproximadamente 4500km. Durante a caminhada, ele filmou o crescimento de sua barda, compondo um timelapse bacana.

Nada de especial no video, mas apenas para começar o dia com algo inusitado.

Anúncios

Paris, The City of Light – Teaser

Imagens incríveis da “cidade-lus”, em time lapse.

Beto Carrero World

Comemorações mais do que especiais do aniversário da Ariadne no Beto Carrero!

Beto Carrero World é o maior parque temático da América Latina, localizado no Balneário de Penha, em Santa Catarina. O parque oferece uma excelente estrutura e várias opções de diversão e lazer. Dá para se passar um dia inteiro no parque, desfrutando de suas diversas atrações e brinquedos. O local também possui diversos restaurantes e opções de hotéis e pousadas em suas proximidades.

Confesso que alguns brinquedinhos  foram feitos para ir apenas uma vez na vida. Fire Whip é um deles, mas não satisfeitos fomos mais de uma vez.

Aproveitamos o dia de domingo para descansar e conhecer algumas prais das proximidades do parque. Praia da Paciência, Ponta da Vigia e Praia Vermelha foram alguns destes recantos.

Império das Águas.

Ilha dos Piratas.

Vila Germânica.

Capturada!

Passeio pelo Zoo.

Ponta da Vigia.

Praia Vermelha, que neste dia estava cinza.

GAZETA DO POVO: O fotógrafo e sua vespa chamada Matilda

Depois de 17 mil quilômetros a bordo de “Matilda”, o colombiano John Silva, de 36 anos, estacionou sua moto temporariamente por estas bandas. Escoteiro desde os 11 anos de idade, John, que vive em Quito, no Equador, está realizando o sonho de viajar pelo continente americano. A odisseia dele se diferencia de tantas outras feitas por cidadãos latino-americanos pelo meio de transporte utilizado, uma Scooter Vespa 89. O nome da moto homenageia uma personagem interpretada pela atriz Natalie Portman no filme O profissional, de 1994.

Após trabalhar durante um terremoto na Colômbia, com o dinheiro que recebeu o jornalista e fotógrafo comprou sua primeira Vespa. Hoje ele tem a “Matilda” e a “Piola”, outra Scooter Vespa, que fica no Equador, e uma lambreta igual à que seu pai tinha, e que fica na Colômbia.

Juntos, “Matilda” e John já passaram por Equador, Bolívia, Peru, Argentina, Chile, Uruguai e Brasil. Na última semana estiveram em Curitiba. A viagem toda somará 70 mil quilômetros. Pelo caminho, ele tem encontrado uma mescla de culturas sem igual, que retrata de olho na publicação de um livro de fotos, que já tem data marcada para ser lançado: setembro de 2013.

Viagem

Durante um ano o fotógrafo planejou essa viagem. Procurou via internet outras pessoas que tivessem histórias parecidas com a que desejava escrever. Pelas redes sociais, encontrou um italiano também fazia uma jornada. “Algum tempo depois, ao passar por Quito ele me visitou em casa”, conta. Entusiasmado, e com tudo organizado, no dia 2 de novembro de 2011 John deu início ao projeto Foto Travessia Scout pela América.

Por onde passa, o também escoteiro John conta com o apoio de grupos que lhe oferecem estada. A viagem é autofinanciada, mas, sempre que possível, recebe colaborações em dinheiro e vende pulseiras e postais a interessados.

Ontem, John seguiu para Foz do Iguaçu, de onde segue para o Paraguai. “Dei minha palavra de escoteiro de que passaria pelo Paraguai. Eles estão me esperando”, brinca. Na volta, ele passa rapidamente pelo interior do Paraná e vai até Brasília, visita o Nordeste e Norte do país e depois segue para a Venezuela e México, onde deve concluir o projeto em abril de 2013.

Influência

Entre as paixões do seu pai, a fotografia e o fascínio pelas lambretas

Duas das paixões de John têm origem em seu pai, que também se chamava John Silva. Era ele quem cuidava da revelação das fotos de um jornal na Colômbia e que apresentou a fotografia ao filho. Além disso, ele tinha uma lambreta italiana que sempre fascinou o garoto. “Acredito que meu pai ficaria orgulhoso do que estou fazendo, e penso que ele está comigo nessa viagem, como meu copiloto. Quando pego longas estradas converso com ele”, diz o viajante, que perdeu o pai há três anos.

O escotismo também é parte da sua vida e da sua família. Foi apresentado por sua mãe, que influenciou outros cinco irmãos a também se tornarem escoteiros. John Silva é fotógrafo voluntário da Organização Mundial do Movimento Escoteiro e, em sua viagem, faz questão de levar a mensagem de que o escotismo pode ser uma importante ferramenta para que jovens e crianças cresçam longe dos males da sociedade, como as drogas.

Outra missão que leva consigo é a de estimular nos jovens escoteiros o desejo de conhecer novas culturas sempre. Além disso, ele quer registrar as atividades realizadas pelos grupos e em todo o continente. Como fotógrafo e jornalista, John quer retratar as diferenças de cada região com seu misto de povos, cores e paisagens, e mostrar o que precisa ser melhorado.

Jornada em imagens

A viagem de John Silva resultará em um foto-livro que será lançado em setembro do ano que vem, na Conferência Interamericana dos Escoteiros, em Buenos Aires. Segundo ele, outras aventuras como essa estão nos seus planos. Algumas imagens dessa jornada podem ser vistas na página do projeto no site www.facebook.com/MATILDA89

Fonte

John Silva e sua Motoneta “Matilda”.

John Silva, Colobiano, 36 anos chegou esta semana na cidade de Curitiba. Este maluco está na estrada a nove meses, juntamente com sua motoneta, chamada carinhosamente de “Matilda”, realizando seu sonho de viajar pelo Continente Americano e conhecer suas inúmeras belezas. Sua viagem começou a nove meses e só terminará em 2013 no Jam Cam da Colômbia.

Três paixões o fizeram pegar a estrada: a fotografia, o escotismo e a vespa (Matilda). John já passou por países como Equador, Bolívia, Perú, Argentina, Chile e Uruguai e o roteiro ainda inclui o Paraguai, Colômbia, Paraná e México. É possível acompanhar sua trip por sua página no Facebook: http://www.facebook.com/MATILDA89

Seu projeto “Foto-Travessia Scout por América” resultará num livro de fotos, a ser lançado no próximo ano.

Ontem, John teve a oportunidade de conhecer três grupos escoteiros da cidade e contar um pouco de sua experiência. Muito bacana ver a curiosidade dos jovens, e em muitos deles alguns sonhos guardados brotarem. Seguem abaixo as fotos destas visitas.

John e sua vespa “Matilda”.

Visita ao GE Santos Dumont.

No GE Dom Orione.

No GE Mar Amigo Velho.

Rango de Mochileiro na Europa

Durante uma mochilagem existem várias alternativas para segurar o bolso e também o estômago. Por mais que seja em euro, algumas boas e econômicas opções de rango podem aparecer durante uma viagem à Europa. O fato é que dá para economizar sim, porém sem exageros, já que a gastronomia dos lugares também faz parte da diversão. Não deixe de experimentar o que tem vontade! Já viajei de maneira “espartana”, economizando (inclusive no rango) e posso garantir que isto não está com nada. Passar fome te deixa fraco e menos disposto para vivenciar sua viagem. Viaje com economia, mas sem deixar de conhecer cada país pela boca!

Algumas dicas para economizar:

– Aproveite o café da manhã dos hotéis e albergues, já que muitos deles oferecem este serviço.

– Fique longe dos restaurante turísticos. Coma na rua, procure lugares onde o povão come.

– Supermercados são boas e econômicas opções. Pães, queijos, salames, chocolates e refrigerantes seguramente saem mais baratos, e garantem bons lanches, quem sabe até um piquenique no parque.

– Faça você mesmo! Alguns albergues dispõem de cozinha para os hóspedes. Com certeza é uma boa economia!

Nos trens de alta velocidade da Europa, um lanchinho como este pode enganar a fome. Cuidado, alguns deles estão inclusos na passagem, mas outros devem ser pagos a parte.

Docinhos franceses, de fato são de dar água na boca. Não deixe de provar os populares macarrons, que são deliciosos.

Prato do dia em Budapeste. Na dúvida, coma…

Sopinha húngara, num bom restaurante. Cortesia de um dos passeios pela cidade.

Claro, a pizza é italiana!

Os kebab´s são uma boa e econômica opção por toda europa.

Prove algo diferente, evite o Mac Donald´s!

A Mariscada de Lisboa!

O delicioso bacalhau português.

Goulash é típico da República Tcheca.

O doce de creme também faz parte da gastronomia tcheca.

Incomparável fondue da Suíça.

Uma salsicha com fritas, acompanhada de um chopp, ajuda a desbaratinar na Alemanha.

Revista Backpacker – Mês de Julho

Aos camaradas de mochilagem, já está disponível para download (de grátis!!) a revista Backpacker do mês de julho.

Para quem não conhece, a revista tem um conteúdo bastante interessante, voltado basicamente para o público mochileiro, e traz dicas legais sobre viagens, camping, caminhadas, lugares, etc. As edições oferecem mapas e fotos de excelente qualidade.

Para fazer o download CLIQUE AQUI!

Lençóis Maranhenses

Dá para iniciar este post descrevendo o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses simplesmente como sendo “o paraíso”. Na vardade, está muito próximo disso…

O parque conta com 155 mil ectares de extensão, e é repleto de dunas (haja areia!), rios, lagoas e manguezais. Este belíssimo lugar reflete a ação da natureza ao longo de milhares e milhares de anos. A principal porta de entrada para o parque é o município de Barreirinhas, mas o parque também abrange os municípios de Humberto de Campos, Primeira Cruz e Santo Amaro.

A primeira vista parece um simples deserto, mas na verdade os lençóis possuem algumas características diferenciadas, visto que chove nesta região. São as chuvas que garantem algumas das paisagens mais belas que se pode ver nesse planeta. Muitas das lagoas, como a Lagoa Azul e a Lagoa Bonita são famosas pelas águas cristalinas, e por serem uma excelente opção para se refrescar. O bacana é que dá para ver os peixinhos claramente, e nadar entre eles.

Enfim, é um lugar que deve ser apreciado com bastante tranquilidade! Pena que pude curtir somente algumas poucas horas.

As fotos abaixo jamais conseguirão traduzir a real beleza do lugar.

O simpático município de Barreirinhas.

Chegar no local por sí só já é uma aventura! Veículo 4 X 4 por estradas de areia e charcos.

Imensidão de areia.

Águas cristalinas.

Natureza peculiar.

Lugar lindo, mulher maravilhosa.

Uma das muitas lagoas…

O Mercado Municipal de São Luis e a Gastronomia Maranhense

Uma das coisas que me chamou a atenção no Maranhão foi, sem sobra de dúvidas, a sua culinária.

Desfrutar dos prazer gastronômicos de São Luis é uma aventura à parte. A culinária é muito gostosa e farta, baseada em frutos do mar, que não faltam nem no “barzinho da esquina”. Trata-se de uma agradável mescla de temperos da cultura européia, indígena e africana, o que resultou em sabores exóticos e agradáveis.

Outras iguarias da culinária maranhense contemplam o cuscuz de milho, bolo de macaxeira, macaxeira cozida, queijo coalho, canjica, pamonhas, o pé-de-moleque, o beiju, à base de tapioca, amendoim, arroz doce e cuscuz de coco.

Frutas típicas também são base para sucos, sorvetes e doces. Dentre elas destaco: bacuri, cajá, caju, manga, mangaba, graviola, pitanga, acerola, sapoti, bacuri, abricó… Vale experimentar cada uma delas.

Outro lugar que vale a pena visitar é o tradicional Mercado Municial de São Luis. O mercado é bastante antigo, e através dele pode se ter contato direto com a cultura e costumes do lugar, bem como da variedade de frutas e outras iguarias e curiosidades. #ficadica

Peixada com camarão.

Mercado Municipal de São Luis.

De tudo um pouco.

Açougueiro.

Cachaças e outras iguarias.

Centro Histórico de São Luis do MA

O centro histórico de Sao Luis concentra mais de 3.500 imóveis, no que constitui-se no mais extenso conjunto arquitetônico da América Latina, com edificações construídas entre os fins do século XVIII e século XIX. A grande maioria destes imóveis estão tombados, seja pelo patrimônio histórico estadual, seja pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) e alguns deles foram declarados Patrimônio Cultural da Humanidade, pela UNESCO, devido ao seu conjunto colonial português adaptado ao clima local. Uma das soluções encontradas pelos portugueses para refrear o clima quente e húmido, foi a colocação de azulejos de impermeabilização nas fachadas.

Embora mal conservado, o centro histórico é muito bonito e repleto de ruas, praças, ladeiras, sacadas e mirantes. Andar por estas ruas é viajar para um tempo remoto, onde histórias míticas e crenças ainda flutuam no ar.

Conhecer a cidade de São Luis vale realmente a pena.

Os azulejos portugueses.

Pelas ruas do centro histórico.

Ladeiras e escadarias.

Palácio dos Leões - Sede do Governo do Estado, em estilo neoclássico.

Igreja da Sé - De origem portuguesa do século XVII, a catedral metropolitana de São Luis tem seu altar-mor tombado pelo patrimônio histórico.

%d bloggers like this: