Arquivos de sites

Curiosidades sobre a Alemanha

  • A maior cidade é a capital, Berlim, com 3,4 milhões de habitantes.
  • Principais rios da Alemanha: Rio Danúbio, Rio Elba e Rio Reno.
  • É conhecida como a terra dos poetas e pensadores.
  • Berlim é reconhecida como centro europeu da cultura, graças à chamada “ilha de museus”, suas três casas de opera, a Orquestra Filarmônica, os cinemas e teatros, o Festival Internacional de Cinema, as três universidades, as quatro escolas de Belas Artes e os 250 centros universitários de pesquisa.
  • O vocabulário ativo de um alemão seria calculado em torno de 12 a 16 mil palavras. Mas sem problema, a maioria dos alemães entende até 50 mil palavras.
  • A Federação Alemã de Esportes Olímpicos (DOSB) conta com 27 milhões de membros.
  • A Federação Alemã de Futebol conta com mais de 26.000 clubes, totalizando cerca de 6 milhões de membros, o que a faz ter maior número de associados do que qualquer outra federação esportiva do mundo.
  • Os alemães Gottlieb Daimler e Karl Benz inventaram o primeiro carro movido à gasolina.
  • Os sumérios e os egípcios já produziam cerveja há mais de cinco mil anos, mas a cerveja produzida na Alemanha ganhou status de melhor do mundo porque só utiliza água, lúpulo e malte. O país tem 1.350 cervejarias e cinco mil marcas são produzidas
  • Os alemães são um dos maiores consumidores per capita de cerveja do mundo (dizem que atrás somente do tchecos). Cada cidadão consome, em média, 112 litros da bebida por ano. As variedades de cerveja mais comuns por lá são: Helles, Weizen, Kölsch, Alt, Pilsner, Export e Bockbier. Um detalhe: existem mais de 1.200 cervejarias ativas e 5.000 marcas de cerveja no país.
  • Na rua os alemães nunca atravessam se o sinal não estiver verde, pode não haver um único carro num raio de um quilômetro que, mesmo assim, ninguém atravessa a estrada.
  • Nas ruas é obrigatório recolher o cocô do cachorro levado a passear.
  • Ônibus e trens não têm cobradores, o dinheiro é colocado em uma caixa junto ao motorista. Ele imprime o ticket e dá o troco.
  • Nem só de carne de porco e salsicha vive um alemão. Há também o repolho – que em conserva torna-se o ingrediente principal do chucrute.
  • Mas a salsicha continua sendo muito importante no país. As salsicharias não se cansam de criar novos tipos da iguaria, até mesmo a de carne decorada com desenhos de animais, própria para crianças.
  • Existem várias receitas alemãs a base de cerveja e presunto e é muito comum o hábito de misturar frutas aos alimentos.
  • Com 82 milhões de habitantes, a Alemanha é o país mais populoso da União Européia. A cidade mais populosa é a capital, Berlim, com 3,5 milhões de habitantes.
  • Cerca de 19% da população alemã é constituída de imigrantes ou de alemães com um dos pais nascidos no estrangeiro. Os maiores grupos são turcos, italianos, sérvios, russos, gregos e poloneses.
  • Existem colônias de imigrantes e descendentes de imigrantes alemães nos Estados Unidos, Canadá, Brasil, Argentina e até no Equador e na Namíbia. Os países com maior concentração de descendentes de alemães são, pela ordem, Estados Unidos, Canadá e Brasil.
  • Os estados brasileiros que mais receberam imigrantes alemães foram Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Espírito Santo e Paraná.
  • A língua alemã é falada por quase 200 milhões de pessoas em todo o mundo. Os países que falam alemão são Alemanha, Áustria, Luxemburgo, Liechtenstein e Suíça. Existe um grande número de falantes da língua na Polônia, Rússia, Eslováquia, Dinamarca, Namíbia, França e Itália. Os países em que parte da população fala ou conhece o alemão: Estados Unidos, Canadá e Brasil.
  • A Alemanha é a quarta maior economia e o terceiro maior exportador do mundo. Os alemães eram os maiores exportadores até recentemente, quando foram ultrapassados pela China.
  • A Alemanha foi um dos últimos países europeus a se unificarem. O Estado-Nação chamado Alemanha nasceu propriamente em 1871.
  • O país é formado por 16 estados. São eles: Baden-Württemberg, Berlim, Baviera, Brandemburgo, Bremem, Hessen, Hamburgo, Mecklemburgo-Pomerânia, Baixa Saxônia, Renânia do Norte, Renânia-Palatinado, Sarre, Saxônia, Saxônia-Anhalt, Schleswig-Holstein e Turíngia.
  • As cidades mais importantes são: Berlim (a capital), Hamburgo, Munique, Dresden, Bonn, Stuttgart, Frankfurt, Colônia, Hannover, Düsseldorf, Essen, Nurenberg, Leipzig, Dortumund, Bremen e Rostock.
  • As religiões com maior número de adeptos são: luteranismo, catolicismo, judaísmo e islamismo (a maioria descendente de imigrantes turcos). Cerca de ¼ da população alemã se declara atéia ou não-religiosa.
  • Com o término da Segunda Guerra Mundial, a Alemanha foi dividida em dois países: Alemanha Ocidental (capitalista) e Alemanha Oriental (comunista). A capital da Alemanha Ocidental era Bonn e da Alemanha Oriental, Berlim. A reunificacção alemã ocorreu em 1990, pouco tempo depois da queda do Muro de Berlim.
  • Os alemães também são grandes consumidores de pães. Só para se ter uma idéia, existem 400 variedades de pães e 1.200 tipos de pãezinhos no país.
  • Se você ficou impressionado com a variedade de cerveja e de pão, veja só essa: existem mais de 1.500 tipos de salsicha na Alemanha.
  • Personalidades brasileiras descendentes de alemães: Ernesto Geisel, Gustavo Kuerten, Oscar Schmidt, Jorge Gerdau Johannpeter, Vera Fischer, Gisele Bündchen, Ana Hickmann, Lya Luft, Raul Bopp, Raul Boesel, Leandro Konder, Eva Wilma, Werner Schunemann e Dom Paulo Evaristo Arns.
  • Personalides alemãs das artes e da cultura: Thomas Mann, Günther Grass, Herman Hesse, Goethe (escritores e poetas); Nietzsche, Marx, Schopenhauer (filósofos); Bach, Händel, Beethoven, Wagner, Brahms (música).
  • A Alemanha já sediou duas olimpíadas (Berlim/1936 e Munique/1974) e duas Copas do Mundo (1974 e 2006).
  • Segundo a Federação Alemã de Fubetol, existem mais de 25.000 clubes no país, com cerca de 6 milhões de membros.
  • A seleção alemã de futebol venceu a Copa do Mundo três vezes: em 1954, 1974 e 1990.

fonte, fonte

Beate Uhse Erotic Museum

Antes de mais nada, este post é terminantemente proibido para menores de idade. Se você é menor de 18 anos, não prossiga!

Para prosseguir, clique abaixo!

Read the rest of this entry

Topografia do Terror em Berlim

A “Topografia do Terror” é uma das atrações mais visitadas da cidade de Berlim, sendo que mais de 500.000 pessoas a visitam anualmente.

É um museu a céu aberto que mostra os horrores e atrocidades nazistas do ano de 1933 até a sua queda, em 1945. Junto a este museu encontra uma parte intacta do Muro de Berlim, que foi erguido durante a Guerra Fria.

O local onde hoje encontra-se o museu já foi um dos endereços mais temidos da capital alemã, pois aqui funcionava a sede da Gestapo e da SS, respectivamente o serviço secreto e as tropas especiais de segurança nazista, que foram completamente destruídas após a invasão das forças aliadas.  Na década de 70, as ruínas foram escavadas e encontraram “calabouços” que os nazistas utilizavam para prender e torturar prisioneiros políticos.

Propaganda nazista.

Propaganda impregnada com a típica imundice nazista.

Aqui pode-se ver bem como o muro dividia a cidade, dividia vidas.Um muro que hoje está corroído pelo tempo, em muitas partes quebrado e exibindo seus vergalhões de aço, que ainda lhe dão sustentação.

Um pedaço intacto do Muro de Berlim

O museu fica bem abaixo do muro, onde antigamente eram as celas da prisão da Gestapo. A exposição é muito bacana, gratuita e exibe a dimensão das atrocidades causadas pelo nazismo.

O museu, logo abaixo do Muro de Berlim e onde encontravam-se as antigas celas da Gestapo.

Sem dúvida é um lugar que deve ser visitado!

Para conhecer um pouco mais visita o site do museu CLICANDO AQUI!

Bandeira da Alemanha

A atual Bandeira da Alemanha foi adotada em 23 de maio de 1949, pela República Federal Alemã, mas já havia sido utilizada pela Confederação Germânica (1848), e pela República de Weimar (1919-1933). Em 1949 após a divisão da Alemanha ambas as partes utilizavam a mesma bandeira. Em 1959, a Alemanha Oriental, passa a utilizar o seu brasão de armas para diferenciá-la da bandeira da Alemanha Ocidental. Após a Unificação Alemã em 1990, a bandeira alemã original foi restaurada.

A bandeira da Alemanha consta com três listras horizontais de igual tamanho nas cores preto, vermelho e amarelo (Schwarz-Rot-Gold em Alemão).

A teoria mais provável para a bandeira alemã é que ela foi inspirada nos uniformes dos Freikorps, tropas voluntárias do major Lützower, que lutaram para libertar a Alemanha do domínio do estadista francês Napoleão Bonaparte. As jaquetas dos soldados eram pretas, com botões cor de ouro e as barras eram enfeitadas com tecido vermelho.

Outra hipótese é que ela é uma reprodução da bandeira do Sacro Império Romano-Germânico, que era composta de um fundo amarelo com uma águia preta e com garras e bico vermelhos. De qualquer forma, a bandeira foi oficialmente adotada como símbolo nacional em 10 de Março de 1848, pela Confederação Germânica.

Nosso dia em Berlim

Chegamos a tarde na cidade de Berlim e optamos por ficar no Hotel ao lado da Estação de Trem Ostbahnhof. Não me recordo o nome do hotel, mas como tínhamos pouco tempo esta opção acabou cabendo em “nosso bolso” e oferecia vantagem logística para pegar o trem para Hamburgo no dia seguinte.

Pegamos o trem de turismo da cidade e conhecemos os principais pontos, como Muro de Berlim (mais precisamente o trecho do Museu Topografia do Terror), o Portão de Brandemburgo, a Coluna da Vitória, o Parlamento Alemão, entre outros… Todos os lugares, com muitos detalhes, descreverei em posts específicos nos próximos dias. Também estivemos no Museu do Sexo, mas este não dá para detalhar…hehehe

Topografia do Terror - O Muro de Berlim

Siegessäule ou simplesmente Coluna da Vitória

Portão de Brandemburgo

A noite jantamos num restaurante japonês, pra matar nossa vontade de comer um salmãozinho.

Vídeo Memória do Castelo Neuschwanstein

Munique – Füsen – Schwangau

Nossa primeira missão, quando chegamos na cidade de Munique, foi colocar as mochilas no locker da Estação Hauptbanhof. Tomamos um café rápido na própria estação e aguardamos nossa hora de partida.

Livres do peso seguimos de trem para a cidade de Füsen. São duas horas tranquilas de viagem, passando por belas paisagens rurais.  Nosso objetivo era conhecer os castelos de Neuschwanstein e de Hohenschwangau. Para se chegar até os castelos, deve-se tomar um ônibus até a cidade de Schwangau, vizinha a Füsen.

O Castelo de Hohenschwangau foi a residência durante a infância do Rei Luis II da Baviera, tendo sido reconstruído pelo seu pai, o rei Maximiliano II da Baviera, em 1829. O lugar é bonito e oferece uma bela vista do Castelo Neuschwanstein.

 Castelo Hohenschwangau 
Uma das estátuas do jardim

Por sua vez, o Castelo Neuschwanstein (que significa: “novo cisne de pedra”) foi construído em meados do século XIX por Luís II da Baviera. Sua arquitetura é fantástica e realmente impressiona. Este castelo serviu de inspiração para o castelo da “Bela Adormecida” dos Estúdios Disney. Para se chegar até ele pode-se pegar um ônibus, carruagem, ou encarar uma caminhada de aproximadamente 30 minutos montanha acima (esta foi a nossa opção).

Castelo Neuschwanstein
As torres 

Valeu bastante a pena conhecer dois castelos em um só dia, e um do lado do outro. Vou escrever um post específico sobre ambos os castelos.

Depois das visitas aos castelos almoçamos no volarejo e voltamos para a cidade de Munique, para aproveitar o restante do dia.

Comidinha típica. Com um chop fica perfeito!

Munique é a capital do estado federal da Baviera, terceira maior cidade da Alemanha, e onde anualmente acontece a tradicional Ocktoberfest. É uma cidade muito bonita, que congrega arte, cultura e alegria de viver. De fato, é muito difícil discordar depois de conhecê-la. Pena que nosso tempo aqui foi curto.

Antiga prefeitura da cidade de Munique
Estátuas da Coluna de Maria, na Marienplatz

 

Bruxelas – Amsterdam – Frankfurt

Nas ruas de Bruxelas - Bélgica

Pegamos o trem logo cedo com destino a Amsterdam, com direito a uma breve parada na cidade de Bruxelas para trocar de trem. Do pouco tempo que ficamos em Bruxelas pude constatar que trata-se de uma cidade cosmopolita e vibrante. Capital da União Européia e berço do Euro e do personagem Tintin. Mesmo com pouco tempo pudemos conhecer um pouco da cidade e sentir o seu clima.

Chegamos a tarde em Amsterdam. Cidade agitada e realmente “mucho loka”. Centro nervoso da Holanda, onde tudo, mas realmente tudo acontece. AVISO: aos mais conservadores a cidade pode chocar! Estonteante os coffee-shops, as prostitutas em vitrines, os sex-shops, as milhares de bocicletas e os canais, que estão em todos os lados e totalizam 165… De qualquer modo considero como sendo uma das mais encantadoras cidades da Europa.

As "magrelas" em Amsterdam. Transporte bastante tradicional na cidade.

Um dos inúmeros canais.

Em Amsterdam fomos ao Museu de Cera Madame Tussauds, em frente a Dam Square. É uma filial da de Londres e apresenta alguns bonecos de vultos históricos e celebridades, em escala natural, com uma boa dose de realismo. Bem bacana!

Eu e a Lady Gaga no Madame Tussauds

Em conserva.

Também encaramos a fila para conhecer a Anne Frank Huis, que é uma das atrações “top” de Amsterdam. Apresenta a casa onde Anne Frank ficou escondida por 2 anos, junto com seus pais, sua irmã e outra família. Para quem não conhece a história, esta menina judia escreveu um diário, narrando seu cotidiano de clausura, até serem descobertos pelos alemães. Posteriormente o diário foi publicado e virou “best-seller” no mundo todo. Todos morreram em diferentes campos de concentração. Já tinha lido o livro e valeu a pena conhecer o museu.

Almoçamos no Mac Donalds e no final da tarde seguimos para Frankfurt, na Alemanha, para mais uma troca de trem até a cidade de Munich. Pernoitamos no trem.

A moderna estação de trem de Frankfurt

%d bloggers like this: