Arquivos de sites

Bandeira da Bélgica

Uma das minhas bandeiras prediletas, com uma boa combinação de cores. É uma pena que o vermelho esteja separado do preto pelo amarelo. Se o vermelho estivesse estivem do lado do preto seria bom, e se ela fosse somente preta e vermelha seria perfeita 🙂

Suas listras verticais são baseadas na bandeira francesa.

Ela foi adotada no ano de 1831, após os belgas ganharem sua independência da Holanda, em 1830.

Seu principal significado é a sua própria independência. Suas cores tem origem no brasão de armas do país, sendo que o preto representa o escudo, o dourado representa o leão e o vermelho interpreta as garras e a língua do leão.

Brasão de armas da Bélgica

Bruxelas – Amsterdam – Frankfurt

Nas ruas de Bruxelas - Bélgica

Pegamos o trem logo cedo com destino a Amsterdam, com direito a uma breve parada na cidade de Bruxelas para trocar de trem. Do pouco tempo que ficamos em Bruxelas pude constatar que trata-se de uma cidade cosmopolita e vibrante. Capital da União Européia e berço do Euro e do personagem Tintin. Mesmo com pouco tempo pudemos conhecer um pouco da cidade e sentir o seu clima.

Chegamos a tarde em Amsterdam. Cidade agitada e realmente “mucho loka”. Centro nervoso da Holanda, onde tudo, mas realmente tudo acontece. AVISO: aos mais conservadores a cidade pode chocar! Estonteante os coffee-shops, as prostitutas em vitrines, os sex-shops, as milhares de bocicletas e os canais, que estão em todos os lados e totalizam 165… De qualquer modo considero como sendo uma das mais encantadoras cidades da Europa.

As "magrelas" em Amsterdam. Transporte bastante tradicional na cidade.

Um dos inúmeros canais.

Em Amsterdam fomos ao Museu de Cera Madame Tussauds, em frente a Dam Square. É uma filial da de Londres e apresenta alguns bonecos de vultos históricos e celebridades, em escala natural, com uma boa dose de realismo. Bem bacana!

Eu e a Lady Gaga no Madame Tussauds

Em conserva.

Também encaramos a fila para conhecer a Anne Frank Huis, que é uma das atrações “top” de Amsterdam. Apresenta a casa onde Anne Frank ficou escondida por 2 anos, junto com seus pais, sua irmã e outra família. Para quem não conhece a história, esta menina judia escreveu um diário, narrando seu cotidiano de clausura, até serem descobertos pelos alemães. Posteriormente o diário foi publicado e virou “best-seller” no mundo todo. Todos morreram em diferentes campos de concentração. Já tinha lido o livro e valeu a pena conhecer o museu.

Almoçamos no Mac Donalds e no final da tarde seguimos para Frankfurt, na Alemanha, para mais uma troca de trem até a cidade de Munich. Pernoitamos no trem.

A moderna estação de trem de Frankfurt

%d bloggers like this: