Arquivos de sites

Paris, The City of Light – Teaser

Imagens incríveis da “cidade-lus”, em time lapse.

A vista de cima do Arco do Triunfo

Novamente em Paris

A Pirâmide do Louvre

Galerias em seus intermináveis corredores

A famosa Mona Lisa

Tesouros egípcios

Depois de uma pequena caminhada até a estação de trem de Kandersteg pegamos o trem com destino a cidade de Paris. Como não havíamos feito a reserva, tivemos que fazer inúmeras conexões, passando pelas cidades de Spiez, Basel e Mulhouse-Ville.

Chegamos em Paris as 16h e fomos rapidamente ao Hosteling nos acomodar para aproveitarmos o restante do dia em algum lugar bacana. Nos hospedamos no Albergue “Le Dartagnan”, que não fica numa posição central em relação as atrações de Paris, mas é uma boa opção. O preço é bom, com café da manhã incluído e o prédio apresenta uma decoração estilo “anos 80”. Têm também fliperama, discoteca e restaurante.

O final de tarde estava bastante agradável e logo de cara fomos para o Museu do Louvre, que estava movimentado como é habitual. Não conseguimos visitar todas as galerias, pois nos faltou tempo, mas mesmo assim valeu a pena.

Terminamos o dia caminhando pela cidade. Durante a madrugada fomos acordados pelo alarme de incêndio do albergue. Foi uma correria, com todo mundo saindo dos quartos e descendo as escadas em direção a rua. Finalmente o alarme parou e como não havia nenhuma fumaça, nem sinal de fogo, voltamos ao quarto para recuperar o sono. Foi só colocar a cabeça no travesseiro que… uauuuuuuuuuuuuuuuuu… alarme tocando de novo!! Volta a maratona de sair do quarto e descer as escadas em direção a rua. Os bombeiros finalmente chegaram e fizeram a vistoria no prédio. No final das contas era apenas o sistema de alarme com problemas. Noite inquieta e mal dormida.

Le Flâneur – Paris em Belas Imagens

Le Flâneur (music by The XX) from Luke Shepard on Vimeo.

Já começando a “aquecer os motores” para a viagem à Europa, apresento o belo vídeo “Le Flâneur”. O vídeo foi um projeto do estudante Luke Shepard, da Universidade Americana de Paris, e mostra 2000 belas imagens em timelapse, da “cidade Luz”.

Vale conferir!

Paris em 26 Gigapixels

Show de bola! Dá para conhecer todos os detalhes da cidade de Paris, sem precisar sair de casa.

Centre National D’art et de Culture Georges-Pompidou

Meu blog também é cultura! Tá certo que muitas vezes é cultura inútil, mas não deixa de ser cultura. Brincadeiras a parte, vale a pena comentar um pouco sobre este lugar bastante interessante que conheci durante minha estadia em Paris, no ano de 2007. Faz tempo que queria escrever um post sobre o Centro Georges Pompidou, mas somente agora estou conseguindo concretizar este desejo.

O “Centre national d’art et de culture Georges-Pompidou” é um complexo arquitetônico “high-tech” fundado em 1977. O centro abriga museu, biblioteca, teatros, atelier e outras opções artísticas e culturais. A construção, de fato, chama bastante  atenção e até hoje serve de exemplo e inspira. A arquitetura hig-tech utiliza elementos tecnológicos como base par objetos estéticos. Este estilo pode ser observado no Centro Pompidou nas grandes tubulações, escadas rolantes e em seu sistema estrutural em aço. Na época de sua construção o projeto foi considerado extremamente arrojado e por este fato foi bastante criticado também.

No Centro Pompidou também existe uma vasta coleção de livros, jornais e revistas de todas as partes do mundo, além de acesso gratuito a internet (perfect!) e televisões com canais interncionais. Sua implantação configura a existência de um espaço público (a praça do Centro) para o qual as suas atividades internas se estendem.

Vista externa do Centro Georges Pompidou

Parece o mundo "além da imaginação"

Georges Pompidou foi um político francês, que ocupou o cargo de primeiro ministro  e de presidente da França na década de 60. Ficou conhecido por em um desfile ser salvo de um tiro após ter levado um susto de um pulo de um gato chamado Fermaig.

Dentro do Centro

Dentro do Centro

 

Estátua Equestre de Joana D’arc

Esta linda estátua dourada pode ser encontrada na Place des Pyramides, na esquina da rue de Rivoli com a rue de Pyramides, em Paris. Ela é uma das quatro estátuas dela espalhadas pela cidade, homenageada como símbolo do nacionalismo francês em todo Dia do Trabalho pelos seguidores do Front National

Joana D’arc nasceu na França no ano de 1412 e morreu em 1431. Foi uma importante personagem da história francesa, durante a Guerra dos Cem Anos (1337-1453), quando seu país enfrentou a rival Inglaterra. Joana D’arc foi canonizada (transformada em santa) no ano de 1920.

A história da vida desta heroína francesa é marcada por fatos trágicos. Quando era criança, presenciou o assassinato de membros de sua família por soldados ingleses que invadiram a vila em que morava. Com 13 anos de idade, começou a ter visões e receber mensagens, que ela dizia ser dos santos Miguel, Catarina e Margarida. Nestas mensagens, ela era orientada a entrar para o exército francês e ajudar seu reino na guerra contra a Inglaterra.

Motivada pelas mensagens, cortou o cabelo bem curto, vestiu-se de homem e começou a fazer treinamentos militares. Foi aceita no exército francês, chegando a comandar tropas. Suas vitórias importantes e o reconhecimento que ganhou do rei Carlos VII despertaram a inveja em outros líderes militares da França. Estes começaram a conspirar e diminuíram o apoio de Joana D’arc.

Em 1430, durante uma batalha em Paris, foi ferida e capturada pelos borgonheses que a venderam para os ingleses. Foi acusada de praticar feitiçaria, em função de suas visões, e condenada a morte na fogueira. Foi queimada viva na cidade de Rouen, no ano de 1431.

Os Gárgulas

Na arquitetura, as gárgulas são desaguadouros, ou seja, são a parte saliente das calhas de telhados que se destina a escoar águas pluviais a certa distância da parede e que, especialmente na Idade Média, eram ornadas com figuras monstruosas, humanas ou animalescas, comumente presentes na arquitetura gótica. O termo se origina do francês gargouille, originado de gargalo ou garganta, em Latim gurgulio, gula,. Palavras similares derivam da raíz gar, engolir, a palavra representando o gorgulhante som da água; em italiano: doccione; alemão: Ausguss, Wasserspeier.

Acreditava-se que as gárgulas eram os guardiões das catedrais e que durante a noite, ganhavam vida.

Uma quimera, ou uma figura grotesca, é um tipo de escultura similar que não funciona como desaguadouros e serve apenas para funções artísticas e ornamentáis. Elas também são popularmente conhecidas como gárgulas.
Fonte: Wikipédia

A Torre Eiffel – Paris

A Torre Eiffel (Apelidada pelos franceses como Dama de Ferro) é um monumento da cidade de Paris, França, sendo reconhecida em todo o mundo como um símbolo da França.Foi construída para a Exposição mundial de 1889 a fim de demonstrar toda a tecnologia dominada na época em estruturas metálicas. Originalmente seria apenas uma estrutura temporária, a ser desmontada com o fim da Exposição. Com seus 317 metros de altura, possuía 7300 toneladas quando foi construída, sendo que atualmente deva passar das 10000, já que são abrigados restaurantes, museus, lojas, entre muitas outras estruturas que não possuía na época de sua construção. Os últimos vinte metros desta magnífica torre correspondem a uma antena de rádio que foi adicionada posteriormente. Recebe o nome de seu projetista, o engenheiro Gustave Eiffel (1832-1923).A idéia e o projecto da Torre Eiffel para a exposição universal de 1889 são uma forma de celebração dos cem anos da Revolução Francesa (1789).Fonte: Wikipédia

A Torre Eiffel realmente fascina! É um monumento muito bonito desta que é considerada uma das cidades “capital do mundo” = PARIS.Não tivemos a oportunidade de subir na torre (mochileiro duro é o que há!), mas valeu conhecê-la.A noite ela fica ainda mais maravilhosa, toda iluminada. É um show a parte! Portanto, se vc vai à Paris você tem que vê-la… Que dica idiota, como se não desse para vê-la de quase toda Paris…

Walking In Paris

Andar pelas ruas de Paris é uma boa maneira de conhecer a cidade e ver como realmente seus habitantes vivem a vida cotidiana.

Cada esquina, cada rua, cada igreja reflete os traços culturais e históricos desta cidade. Andar por Paris é como dar um passeio no tempo.

Sair do centro da cidade onde estão as atrações e conhecer o suburbio também é uma boa pedida. Parar e comer num dos numerosos “kbabs” é uma experiência culinária interessante. Sentir o cheiro… tocar nas coisas… viver Paris!!!

%d bloggers like this: