Arquivos de sites

Bandeira da Hungria

A atual forma da bandeira húngara, com suas faixas nas cores vermelha, branco e verde tem origem na revolta de 1848, durante a revolução separatista da Hungria. Ela foi baseada na bandeira francesa e nos ideais da Revolução Francesa. A escolha das cores tem ligação direta com a história do país e de suas antigas bandeiras, sendo que o signficado era: vermelho – Liberdade, branco – igualdade e verde -fraternidade.

Entre 1867  e 1945 a bandeira foi utilizada na versão e proporções iguais às atuais, mas com o Brasão de armas aplicado ao centro.

Entre 1946 e 1949 a bandeira manteve o Brasão de armas ao centro mas sem a coroa. Em 1949 o brasão foi substituído por uma imagem do tipo estalinista, composta por uma espiga cruzada com martelo e uma estrela vermelha. A bandeira da revolução anti-soviética de 1956 também era tricolor, com um “rasgão” ao centro. Como não existiam bandeiras sem a imagem comunista, muitas pessoas simplesmente cortaram a imagem, motivo pelo qual muitas bandeiras apareceram com um buraco no meio.

De 1957 até os dias de hoje, a bandeira da Hungria é composta pelas três faixas orizontais. O romantismo popular atribuiu o seguinte significado as cores:

– Vermelho: força e sangue

– Branco: fidelidade e liberdade

– Verde: Esperanças e as vastas planícies da Hungria.

Anúncios

Banker 1944, em Budapest

Este abrigo antiaéreo foi construído durante a Segunda Guerra Mundial e está localizado no coração da Cidadela, em Budapeste. O bunker tem três andares e uma área de 750 m2, com 17 “ambientes”, se é que podemos chamar estes buracos de ambientes. Ele também abriga um museu que traz vários acontecimentos históricos da Segunda Guerra Mundial. Algumas das fotos, logicamente não muito agradáveis, traduzem os horrores da guerra.

O bunker também possui a impressionante exposição intitulada “O Cerco de Budapeste 1944” com várias fotografias, que foram organizadas pelo historiador Dr.Krisztián Ungváry.

O museu é pequeno, mas bastante interessante. A vista de cima da colina oferece uma visão panorâmica de toda a cidade de Budapeste. Sem dúvida vale a visita!

A entrada do Bunker.

Soldado nazista e soldado húngaro.

Um dos "quartos".

Condecorações nazistas.

Algumas das armas.

Cicatrizes.

O video abaixo mostra um pouco como é sombrio este lugar. A sensação não é das mais reconfortantes.

Termas em Budapeste

Budapeste também é conhecida como a “Cidade das Águas de Cura” e oferece diversas termas e spas ideais para quem quer relaxar. Existem por volta de umas 50 espalhadas por toda a cidade, graças a uma falha geológica que produziu estas nascentes. A temperatura das fontes gira acima dos 30º e até mesmo dos 40º. Existem também hoteis e piscinas a céu aberto que oferecem os famosos banhos.

Desde muitos anos os banhos termais são valorizados pelos húngaros, sendo herança do Império Romano e da dominação Otomana. Dizem que a ingestão da água de algumas destas fontes trata até mesmo doenças renais e problemas de metabolismo, dentre outros males. Em muitos lugares você também encontrará saunas e salas de vapor, juntamente com uma ampla gama de médicos e tratamentos. Tudo muito relaxante.

Outro fator bastante positivo é que a água destas termas é rica e cálcio e muito pobre em enxofre, o que significa que não possui aquele fedor de podridão.

Existem as termas mistas e as tradicionais unissex, onde neste caso você nada do mesmo jeito em que veio ao mundo.

Quando estive em Budapeste, juntamente com a Ariadne, fomos na Spa Szechenyi, que foi a primeira terma a surgir no lado Peste, por volta do ano de 1881 . O lugar é muito bom, contando com muitas piscinas (incluindo cobertas) e saúnas. Realmente ideal para quem quer recarregar as baterias. Ah, o preço é também bastante convidativo!

Então, esta é a dica: estando em Budapeste não deixe de ir em um desses tradicionais banhos termais.

Para quem quiser conhecer mais sobre o Spa Szecheny: http://www.szechenyibath.com/

A arquitetura das termas também chama a atenção.

Garoto albino de Ipanema

Sobre o Banho Turco:

Não se sabe ao certo quão antiga é a tradição do banho turco, mas certamente começou antes da era corrente. Já era conhecido na Grécia antiga e pelos lusitanos,e muito apreciado na Roma antiga,que possuía termas famosas. Os banhos a vapor foram posteriormente adotados por árabes, turcos e outros povos islâmicos, provavelmente por influência do próprio Maomé, no século VII e pela conquista do Império Bizantino, herdeiro do Império Romano e da cultura grega, pelos turcos, para quem o banho de vapor não era novidade, já que é uma tradição antiga na Ásia Central, de onde eles são originários. Não é claro se foram os povos orientais que adoptaram os banhos romanos ou se não teria sido ao contrário, isto é, poderão ter sido os gregos e romanos a imitarem os banhos de vapor cuja tradição é muita antiga no Oriente.Na Europa, o banho turco caiu em desuso na Idade Média, sendo restabelecido apenas no século XVII.

Fonte: Wikipédia

Budapeste em Timelapse

Belas imagens da cidade de Budapeste, na Hungria, utilizando o processo do timelapse.

15 Curiosidades sobre a Hungria

1. A Hungria é uma república da Europa central rodeada pelos Alpes, pelos Cárpatos e pelos Alpes Dináricos.

2. Sua capital e cidade mais populosa é Budapeste.

3. O Danúbio é um dos rios mais importantes da Europa e, na Hungria, ele é navegável por 418 quilômetros.

4. A calçada ao longo da margem do rio Danúbio é “dividida” em 2 partes: uma para pedestres e outras para bicicletas, devidamente sinalizadas através de desenhos no chão.

5. Em alguns locais existem sinais de trânsito específicos para as bicicletas . Fica abaixo do sinal de pedestres, no ângulo de visão dos ciclistas.

6. As ruas e avenidas são muito largas, por isso existem muitas passagens subterrâneas para cruzá-las, facilitando a vida de quem precisa atravessá-las.

7. É um dos poucos países da Europa que conserva o latim como idioma litúrgico.

8. Em Budapeste se encontra a maior Sinagoga Judaica da Europa . Ela pode ser visitada internamente, e em anexo se encontra o Museu Judaico, um cemitério Judaico e um jardim.

9. A Hungria é famosa pelo seu excelente ensino na matemática, que produziu diversos cientistas de sucesso.

10. 10 húngaros já foram premiados com o Prémio Nobel: 3 em Física, 3 em Química, 3 em Medicina e 1 em Economia. Entre eles, Albert Szentgyörgyi, o descobridor da vitamina “C”.

11. Cubo de Rubik é o n ome dado à invenção do húngaro Erno Rubik, também conhecida por Cubo Mágico, criada em 1974 e lançada internacionalmente em 1980.

12. Desde a 2ª Guerra Mundial a Hungria vem se industrializando rapidamente. Ela manufatura alumínio, aço, bens eletrônicos e veículos – especialmente ônibus.

13. Em termos de origem o único outro país que tem uma língua parecida com a húngara é a Finlândia.

14. Os banhos termais são clássicos no país. Existem dezenas de spas e de piscinas térmicas naturais abertas ao público.

15. Os pratos húngaros são geralmente temperados com páprica, cebola e pimenta preta. Os guisados são encontrados com elementos tradicionais como carne de porco e de gado.

Fonte: http://pt.shvoong.com/society-and-news/culture/2186041-15-curiosidades-da-hungria/#ixzz1cVIQjgxV


Budapeste

Chegamos em Budapest na metade da tarde e fomos em busca de nosso hotel. Mesmo munidos do endereço e contando com a ajuda de um mapa, tivemos bastante dificuldades em encontrar o dito cujo. Segundo a referência o hotel era numa praça, mas fizemos uma busca minuciosa e nada. Cadê esse troço?? Perguntamos então a uma moradora, que nos orientou a atravessar a praça que o encontraríamos. Tamanha foi nossa surpresa quando descobrimos que o hotel era na verdade um barco, em pleno Rio Danúbio. O Hotel Boatel Fortuna é bem organizado e limpo, apresentando um certo charme. Café da manhã legal!!

Hotel Boatel Fortuna, em pleno Rio Danúbio (que já não é mais tão azul)

Como já era final de tarde, deixamos nossas coisas no hotel e fomos em busca de um local para comer. Andamos pelas ruas desertas e acabamos encontrando um Shopping, que supriu nossas necessidades. A Ari comprou uma câmera nova, para compensar a roubada, e acabou pagando uma bagatela. A noite no hotel foi bem relaxante!

No dia seguinte fizemos o “check out” e seguimos para Estação Keleti Pu, onde deixamos nossas mochilas num locker. Tínhamos um dia todo para conhecer Budapeste e acabamos optando por comprar um ticket de ônibus de turismo, que acabou sendo uma boa jogada, pois nos permitiu descer e embarcar quantas vezes precisássemos durante o dia. Dividimos bem o passei entre Buda e Peste.

E foi com este busão que conhecemos a Citadella, a Chain Bridge, Buda Castle, Fishermen´s Bastion e muitas outras atrações que a cidade oferece. Tivemos também a oportunidade de conhecer um dos bunkers utilizados por Hittler, durante a ocupação da Hungria (lugar sinistro). Com a compra deste passe também ganhamos de brinde uma sopa húngara.

Um dos bunkers de Hittler durante a ocupação da Hungria.

O belíssimo Parlamento Húngaro

Budapeste vista de cima

Estátua de bronze de Estêvão I

Igreja de São Mathias

Bastião dos Pescadores

Em frente ao Parlamento

Não podíamos passar por Budapeste sem conhecer uma de suas casas de banhos termais. Optamos pela Széchenyi Bath, ao lado do Zoo. Fim do dia perfeito em piscinas térmicas e saunas. Foi pouco tempo… aqui vale a pena passar um dia todo. Quase que perdemos a hora! Tivemos que voltar as pressas para estação para pegarmos o trem para a cidade de Praga, na República Tcheca.

Széchenyi Bath

%d bloggers like this: